sábado, 21 de setembro de 2013

HÁ MOMENTOS QUE AS PALAVRAS NÃO RESOLVEM.

Há momentos, que não adianta falar, gritar,
questionar, exigir....
Há momentos que precisamos ficar em silencio,
e lembrar de JESUS, que no momento de dor,
de aflição, momento do calvário,
de crucificação, nada falou, suportou todas
as terríveis dores CALADO,...
ficou em completo silencio e derramou todo
o seu amor em nosso favor.










 
 
JESUS lembrou de mim e de você naquela cruz,
e por amor a nós ELE nada disse, nada relatou do
que sentia, tudo que ELE mostrou FOI O AMOR...

Foi no calvário que ELE SEM FALAR
mostrou ao mundo inteiro o que é amar,
o que perdoar, o que é compaixão, o que é misericórdia,
o que é o seu amor por todos nós.

APROVEITE ESSE DIA PARA CALAR OS SEUS LAMENTOS,
E MOSTRAR PARA DEUS O SEU AMOR POR JESUS.




DEUS ABENÇOE VOCÊ.
Amiga Rosa.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

IRAI-VOS E NÃO PEQUEIS.

Texto retirado do livro
Nos Passos de Jesus - Cap. 5.

 
Numa sociedade podre, corrupta e injusta, dificilmente poderemos passar os dias ilesos, sem nenhuma falta ou falha. Temos de admitir que algumas vezes somos pegos de surpresa por sentimentos de ira e indignação, por não suportarmos os abusos ou as ameaças de injustiças. Alguns teólogos chamam a isso de "justa indignação" pela qual o autêntico cristão tem de passar. Essa "justa indignação" pode ser da parte de Deus, como foi o caso do Senhor Jesus:

"Tendo Jesus entrado no templo, expulsou todos os que ali vendiam e compravam; também derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas." Mateus 21.12
 
Pode, entretanto, ser da parte do próprio ser humano. Ela jamais deve servir de licença ou pretexto para qualquer outra forma de ira, o que, aliás, é muito comum entre os que militam na carne ou os incrédulos, os quais amam mais a si mesmos do que a Deus; por isso mesmo, praticam e exercem toda a sorte de cólera, devido ao egoísmo reinante em seus corações. Esse tipo de ira é também diferente da não condenada pela Bíblia.
 Na posição de cristão, posso me irar pelas injustiças cometidas contra o povo de Deus, em defesa da Sua obra, pelo zelo de Sua casa, etc., mas nunca em busca de benefícios próprios. Não são poucos os que se dizem de Deus e, com muita frequência, têm distorcido o propósito da Palavra:
 
"Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira." Efésios 4.26
 
Acredito que essa ira da qual fala a Bíblia é aquela experimentada durante o nosso ministério da Palavra de Deus, quando vemos tantas expressões de miséria e dor. Também quando ouvimos verdadeiras aberrações de satanás através de pessoas que se colocam em posição de "cavalo", "burrinho" ou "aparelho" de entidades infernais. O meu íntimo se enche de cólera contra o diabo e seus demônios. Quando leio no noticiário os desejos expressos de políticos de fazerem leis para obrigarem as crianças nas escolas a receberem instruções espíritas, exatamente contrárias às Sagradas Escrituras, então a ira se acende em mim... Essa é a ira que nos é permitido sentir.
 
Martinho Lutero confessou um dia: "Quando estou irado posso escrever, orar e pregar bem, pois todo o meu temperamento é despertado; meu entendimento é aguçado e todas as preocupações e tentações mundanas desaparecem".
 
Quando a ira foge dos moldes bíblicos, isto é, quando é produzida devido ao egoísmo, devemos tratá-la com todo o cuidado, para não permitirmos que produza um sentimento de mágoa crescente, razão pela qual o apóstolo Paulo admoesta, a fim de não deixarmos que o sol se ponha sem que antes venhamos a bani-la de nossos corações. Naturalmente, ele quis dizer que, quando formos assaltados pela ira, qualquer que seja o motivo, ela tenha pouca duração, para não vir a nos prejudicar e muito menos aos outros






 


O rei Davi também aconselha:

"Irai-vos e não pequei; consultai no travesseiro coração e sossega." Salmos 4.4.

O sentimento de ira deve ter pouca duração; caso contrário construirá um castelo de males, o qual será muito mais difícil de derrubar através do perdão. 
 


 Uma senhora veio ao nosso gabinete pastoral pedir ajuda. Durante toda a sua vida de casada sofrera, e esse sofrimento se tornou pior depois que ela se separou do marido. Doenças, enfermidades, problemas financeiros e uma série de aborrecimentos e aflições a acompanhavam. Depois de passados alguns meses, após ter feito várias correntes na Igreja, ela apresentou grandes melhoras. A situação financeira já estava se consolidando; as doenças e enfermidades também cessaram, mas ainda faltava alguma coisa, pois ela ainda não estava totalmente feliz, como é a vontade de Deus para nossas vidas. Perguntei-lhe se havia nela algum aborrecimento passado, o qual pudesse mantê-la magoada com alguém.

 Depois de responder que sim, aconselhei-a a retirar aquele sentimento do coração, pois senão ela jamais seria perfeitamente abençoada e, ainda por cima, teria de enfrentar futuros problemas se não tirasse do seu coração aquela ira incubada. Ela, então, respondeu: "Como eu posso fazer isso? Não está em mim o desejo sincero de perdoar". Aconselhei-a a pedir ajuda ao Espírito Santo, que Ele certamente faria possível.

 Graças a Deus, ela não somente perdoou seu marido, mas também foi possível o reatamento de ambos, após dez anos de separação. Agora seus filhos também estão com os corações totalmente voltados para Deus. Hoje há alegria, paz e vida abundante naquele lar, porque o Espírito do perdão tornou possível a atuação do Espírito Santo em sua família.

Todo esse capitulo foi copiado do livro
Nos passos de JESUS
Capitulo 5 / tema - PERDÃO.

 
JESUS ABENÇOE VOCÊ.
Miss. R Patrícia.
 
 

Nos passos de JESUS.

 
 

 
Excelente dica de leitura pra você e sua família.
Procure nas livrarias evangélicas.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Momento em que estamos quebrantados.


 
 
No momento em que estamos quebrantados,
estamos tristes, estamos com lágrimas, com o coração abatido, com  a oração  que flui  do peito, com joelhos dobrados e a alma rendida ao SENHOR.
 
 
 
 
 


Estamos como triste, é  uma tristeza diferente, momento de solidão em que
nos encontramos com  DEUS, e nos abraçamos ao SENHOR com toda
força do coração e somos consolados.
TIAGO 4:7-10 nos ensina da importância de viver esse momento
em nossa vida, e viver por razões especificas, que são a de:

• Se arrepender dos pecados,  - vers. 7-8.

• Suportar as tentações,    - vers. 7.

• Levantar um clamor e um  jejum,  - vers. 9.

• E  a de se humilhar na presença de DEUS – vers. 10.
   tendo como o único objetivo  se achegar a DEUS, ficar
   perto de  DEUS para agradar o coração
   do SENHOR.   – vers.- 8.

Quando nos encontramos chorando ou tristes porque queremos
mudar de atitude, porque queremos nos converter ao SENHOR,
queremos ser obedientes ao SENHOR JESUS, 
queremos ser forte na fraqueza, encontrar o favor de DEUS, 
então... é nesse momento que  encontramos o abraço do nosso
AMADO SENHOR, DO NOSSO AMADO JESUS, e nesse
abraço O SENHOR vai nos consolar, e nos exaltará,
a alegria do SENHOR vai chegar ao nosso coração quebrantado e 
desfrutaremos do seu maravilhoso favor.

Confie em JESUS, confie na grandeza de Tiago 4:7-10.
DEUS ABENÇOE VOCÊ.
Missionária Rosa Patrícia.

 
 

 

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O que passou, passou...


O que passou na nossa vida não volta mais.
Precisamos  valorizar o que temos HOJE, 

valorizar o temos agora,
e não ficar o tempo todo lamentando o passado ou
tentando concerta-lo.

Pelo arrependimento através do nome poderoso de JESUS,
podemos viver dias melhores...,
conseguimos a benção de  valorizar o hoje  
e de viver um futuro muito melhor.

Com os olhos no passado terremos um futuro doente de culpa,
magoas e ressentimentos.
Vamos hoje buscar o perdão de DEUS para o nosso coração
em nome de JESUS  e  em seguida promover o nosso perdão
para  nós mesmo.

 

 NÃO RECUPERAMOS O TEMPO PERDIDO, O QUE DEVEMOS
FAZER HOJE É ACORDAR PARA NÃO PERDER O TEMPO QUE
AINDA NOS RESTA.

 
 










JESUS TE ABENÇOE.
Missionária Patrícia.

domingo, 30 de junho de 2013

J. NETO- CONQUISTA.



Reflita na letra desse lindo louvor, DEUS vai falar forte no
teu coração.
JESUS TE AMA.
Missionária R Patrícia.